O alumínio como parte da solução

Como é possível gastar mais de cinco milhões de quilowatts de energia elétrica por hora e ao mesmo tempo professar uma preocupação com o clima e o meio ambiente?

O alumínio como parte da solução

Se usarmos o alumínio para tornar o transporte mais leve e os prédios mais eficientes em termos de energia, esse equacionamento de fato faz sentido. Por isso apostamos nele.

Em 2008, a Hydro elaborou uma estratégia abrangente com relação ao clima. O trabalho deixou claro que tanto a empresa quanto o alumínio como material possuem um perfil climático de que podemos nos orgulhar. O maior desafio está ligado ao consumo de energia na própria produção do metal novo. Em outras palavras, há grande potencial em melhorar a tecnologia de produção.

O alumínio é muito mais leve

De qualquer forma, as propriedades do metal em uso hoje já fazem com que o alumínio se sai bem. O alumínio é mais leve do que outros materiais comparáveis. Consequentemente, empregar o metal leve no transporte contribui para reduzir o consumo de energia e as emissões de gases climáticos. O alumínio usado nas embalagens tem o mesmo efeito – além das outras características do metal. A Hydro também trabalha de forma ativa para desenvolver prédios com autonomia energética através do uso de seus sistemas avançados de fachadas, e a própria empresa já ocupa vários prédios que, graças a esses sistemas, têm autonomia energética ou produzem mais energia do que consomem.

Um cálculo para reflexão

Um simples cálculo mostra como podemos atingir uma economia líquida de energia ao usar o alumino para reduzir o peso de um carro em 100 quilos: substituímos 200 quilos das partes de aço de um carro com 100 quilos de peças de alumínio – que foram feitas de alumínio primário. A redução do peso pode diminuir o consumo de combustível em cerca de 0,05 litros por 10 km. Se o carro rodar 15 mil quilômetros por ano durante dez anos, o consumo de combustível será reduzido em aproximadamente 750 litros.
Isso equivale a 7,5 mil kWh de energia. A energia adicional necessária para produzir o alumínio referente à dedução do peso é 2 mil kWh a mais do que a quantidade gasta para produzir aço. Esse valor, portanto, precisa ser deduzido da economia de energia de 7,5 mil kWh para que cheguemos à economia líquida, de 5,5 mil kWh.

85 por cento é reciclado

Se ainda levarmos em consideração que em torno de 85 por cento do alumínio usado em carros é reciclado, descobrimos que a economia real de energia é consideravelmente maior. O alumínio é fácil de reciclar sem perda de suas propriedades. A refundição exige apenas cinco por cento da energia necessária para produzir o alumínio pela primeira vez. Em função disso, mais de 75 por cento de tudo que foi produzido desde que a indústria do alumínio nasceu há mais de 100 anos ainda está sendo usado. A Hydro pretende fazer sua parte para garantir que a energia do metal nunca desapareça, mas seja reciclada a seu tempo da forma mais eficiente possível, um processo que pode ser repetido inúmeras vezes. A Hydro, portanto, eleva suas ambições na área da reciclagem e tem como meta reciclar cerca de um milhão de toneladas anualmente, até 2020.

Pesquisa do clima

A Hydro contribui para aumentar a reciclagem, entre outros, por meio de iniciativas de coleta em vários países europeus. Nossas atividades de pesquisa e desenvolvimento estão cada vez mais voltadas para os desafios do clima, focando ligas propícias para a reciclagem, peças automotivas mais leves e novos usos da energia solar em edifícios mais favoráveis ao clima.


Actualizado: outubro 11, 2016