Mudanças climáticas

Para o alumínio como material e a Hydro como empresa, as oportunidades de participar na busca da solução para a maior ameaça de nossos tempos superam em muito os problemas que ela nos apresenta – diz o Diretor Estratégico da Hydro, Arvid Moss.

Mudanças climáticas

Moss ressalta que a Hydro pretende fazer sua parte da “tarefa do clima”, uma ambição declarada na própria estratégia climática da empresa.

– Todas as oportunidades de desenvolvimento estratégico e investimentos em equipamento ou produtos devem ser testados diante dos desafios climáticos. Será que contribuirão de forma positiva ou negativa? É fundamental ter uma compreensão bastante “afiada” das possibilidades e dos desafios inerentes à situação do clima – avalia Moss.

A necessidade de uma perspectiva global

– Com nossa história de empresa tecnológica de ponta, devemos estar na vanguarda no momento crítico. A Hydro já enfrentou grandes desafios antes – e contribuiu para solucioná-los. Diante dos desafios climáticos atuais somos também otimistas tecnológicos atuantes, em nossas atividades de pesquisa e desenvolvimento, no desenvolvimento de negócios, na cooperação e nas parcerias.

Por isso tentamos ter uma perspectiva global da cadeia de valor. Ela não acaba no momento em que o metal ou os produtos de alumínio estão sendo entregues aos clientes – afirma Moss.

– Temos que entender e ter uma preocupação com todo o ciclo de vida dos produtos que nós próprios e nossos clientes fornecemos, e ainda a maneira como os consumidores finais utilizam os produtos de alumínio.

Oportunidades na produção e na pós-produção

O Diretor Estratégico faz referência às perspectivas de desenvolvimento da próxima geração de células eletrolíticas e às possibilidades de captura e concentração de dióxido de carbono.

Também na área de processamento há muito a ganhar, por exemplo, em parceria com meios de inovação.

– Em especial, os esforços empenhados no desenvolvimento de edifícios de auto-suficiência energética nos deixaram entusiasmados. Nessa área há grandes oportunidades – ressalta Arvid Moss.

– Cerca de 40 por cento da energia no mundo ocidental é usada nos edifícios e para fins relacionados a eles. Portanto, com maiores investimentos em prédios auto-suficientes em energia será possível fazer grandes avanços. Em nossa opinião, ver a competência da Hydro num contexto maior também significa oportunidades de negócios – acrescenta.

Forte perfil ambiental com alumínio

Dentro de uma perspectiva de ciclo de vida, grande parte de nosso trabalho reduz os problemas climáticos, por exemplo, o uso de alumínio em automóveis e transporte. O mesmo se aplica às embalagens. Nossos materiais contribuem para que caminhões, caminhonetes e trens transportem cargas mais leves.

– Em poucos anos, esperamos conseguir aplicar a tecnologia de produção que estamos desenvolvendo hoje. Mas ao mesmo tempo precisamos ser realistas. É evidente que a tecnologia mais moderna e de maior eficiência energética hoje vai ter que continuar a existir por muitos anos ao lado das soluções novas e mais climaticamente favoráveis. Em certas áreas isso pode acontecer muito mais depressa, por exemplo, na construção civil e energia solar.

Reciclagem cadavez mais importante

Ele acrescenta que os esforços da Hydro na área de reciclagem serão cada vez mais importantes.

– Aproximadamente 75 por cento de todo o alumínio produzido no mundo ainda está em uso. Precisamos fazer nossa parte para que ele nunca desapareça, mas seja reciclado a seu tempo da forma mais eficiente possível. Por isso vamos intensificar nosso empenho na área de reciclagem – afirma Arvid Moss.


Actualizado: outubro 11, 2016