Gestão de recursos

– Todos os dias empenhamos esforços para seguir as melhores práticas da indústria – diz o Presidente-Executivo da Hydro, Svein Richard Brandtzæg.

Desafios relacionados à lama vermelha

Ele frisa a importância de levar a sério os desafios ambientais relacionados com a geração de resíduos, emissões e biodiversidade.

A ambição da Hydro é reduzir o impacto ambiental ao mínimo durante todo o ciclo de vida de nossos produtos. Em 2011, mediante a aquisição dos negócios de alumínio da Vale no Brasil, ganhamos vulto também na área de extração de bauxita e refino de óxido de alumínio, o que nos coloca diante de novos desafios. Tanto nas minas de bauxita em Paragominas quanto na Alunorte, a refinaria de alumina em Barcarena, foram implementados programas abrangentes para a reabilitação adequada de florestas e áreas agrícolas depois da extração de bauxita e do descarte da lama vermelha gerada pelo processo de refino.

Chuvas fortes provocaram vazamento de lama vermelha

Mesmo assim, em 2009, depois de uma das piores chuvas já registradas, a Alunorte, uma refinaria de alumina no Brasil na qual a Hydro tem participação, vivenciou o transbordamento de água e lama vermelha dos canais de drenagem do complexo industrial.

O incidente levou efluentes ao Rio Murucupi, cujas águas adquiriram a coloração vermelha da lama. Em cooperação com as autoridades locais, a Alunorte instaurou uma investigação. As efluentes continham vestígios de hidróxido de sódio, que é usado no processo de produção de alumina a partir de bauxita, mas não foram identificados danos maiores em consequência do vazamento.

Nenhuma ligação com a Hungria

Em 2010, entretanto, o trágico acidente da refinaria de Ajka, na Hungria, mostrou o quanto as consequências podem ser desastrosas.

A lama vermelha é um resíduo gerado pela produção de alumina a partir de bauxita. A lama é um produto residual, composto, em parte, por elementos do minério original de bauxita, em parte, por elementos adicionados durante o processo. Ela é depositada como um espesso líquido pastoso ou uma massa semi-seca. A lama vermelha normalmente contém silício, alumínio, ferro, cálcio, titânio e sódio, além de uma série de componentes menores, incluindo potássio, cromo, vanádio, níquel, bário, cobre, manganês, chumbo e zinco.

Métodos de tratamento da lama vermelha

Praticamente todas as fábricas de alumina do mundo depositam a lama vermelha em lagoas artificiais ou aterros. Os reservatórios podem ser revestidos por argila impermeável e/ou uma lona sintética, como na Alunorte, onde a lama vermelha é filtrada e transportada por caminhões até o local de descarte.

A Alunorte implementou abrangentes programas ambientais para minimizar ao máximo os impactos ambientais. Considera-se a solução uma das melhores do setor. Depois de passar por lavagem e filtração a fim de eliminar a água de processo e a soda cáustica, a lama vermelha se transforma numa massa grossa que é transportada até o local de descarte por caminhões.
Todo o depósito é revestido por membranas para impedir a infiltração para o solo. Toda a drenagem e as águas pluviais são coletadas e levadas à Estação de Tratamento de Efluentes industriais, onde o pH é ajustado e as partículas são eliminadas para atender aos padrões estabelecidos pelas autoridades. Assim que o depósito estiver cheio, ele é coberto de terra e plantado com espécies vegetais locais.

Alpart

A Hydro também tem uma participação de 35 por cento na Alpart, na Jamaica. Em junho de 2009, a produção foi interrompida temporariamente em função do declínio do mercado global de alumínio. Aqui a lama vermelha é depositada em reservatórios, e o escoamento é reutilizado no processo de produção. Depois que a Hydro adquiriu sua participação na Alpart, foram implementadas medidas nos reservatórios de lama vermelha para fortalecer os diques e reduzir o conteúdo de líquido na lama. A área em volta é monitorada continuamente para acompanhar o lençol freático e garantir o fornecimento de água potável à comunidade local.

O programa de reabilitação da área tem sido levado adiante, independentemente da interrupção temporária da produção em junho de 2009.


Actualizado: outubro 11, 2016