Refino da alumina

O óxido de alumínio, ou alumina, como é chamado, é extraído da bauxita em refinarias e, a seguir, é utilizado para a produção do alumínio primário.

4-7 toneladas métricas de bauxita = 2 toneladas métricas de alumina = 1 tonelada métrica de alumínio.

Além da alumina, a bauxita contém sílica, óxido de ferro e dióxido de titânio. Para extrair a alumina da bauxita, emprega-se o processo Bayer. 

Processo de refino da bauxita - Adição de soda cáustica e cal na Digestão - Solução de Alumina a caminho da Clarificação e, logo, da Precipitação. A seguir, a caminho da Calcinação para Remoção da Água. O resultado final é a Alumina

  1. A alumina é separada da bauxita por meio de uma solução aquecida de soda cáustica (hidróxido de sódio) e de cal (óxido de cálcio).
  2. A mistura é bombeada para o interior de recipientes de alta pressão e aquecida.
  3. A soda cáustica dissolve a alumina, que se precipita da solução saturada.  A alumina é, então, lavada e aquecida para a remoção da água.
  4. O material precipitado é filtrado e lavado, para remover e recuperar a solução cáustica.
  5. Todo o restante é eliminado por filtragem e a alumina é seca até atingir a forma de pó branco.
  6. A maior parte das refinarias de alumina está localizada nas proximidades de minas de bauxita, ou próxima de um porto, onde a alumina pode facilmente ser transportada até as fábricas de produção de alumínio.

Como a produção da alumina afeta o meio ambiente?

Quando a alumina é extraída da bauxita, o processo gera quantidade igual de resíduo de bauxita, também chamado de lama vermelha. Esta lama, que deve ser tratada adequadamente para proteger o meio ambiente, representa um desafio na produção da alumina.

A indústria do alumínio vem abandonando o método de armazenagem em lagos de lama vermelha em favor do empilhamento a seco, que é muito mais eficiente e também mais seguro para o meio ambiente. A Hydro adota somente o sistema de empilhamento a seco para armazenar os resíduos da bauxita.

1965: 30% Imersão no mar, 70% lagos de lama vermelha. 1975: 10% Imersão no mar, 80% lagos de lama vermelha, 10% Desconhecido. 1985: 9% Imersão no mar, 50% Lagos de lama vermelha, 41% Empilhamento a seco. 2007: 7% Imersão no mar, 23% Lagos de lama vermelha, 70% Empilhamento a seco.
Há diversos métodos de armazenagem dos resíduos de bauxita produzidos pelas refinarias de alumina.  O modelo acima está baseado em relatórios de 17 refinarias que representavam 44 % da produção global em 2007. (Fonte: Exame da atual gestão dos resíduos da bauxita, sua eliminação e armazenamento: Práticas, Engenharia e Ciência. Documento CSIRO - DMR-3608, maio de 2009).

Outras questões ambientais associadas à produção da alumina:

  • Consumo de energia: a produção da alumina requer muita energia.
  • Gestão da água: a água utilizada no processo e a água superficial da precipitação e escoamento dos depósitos de resíduos de bauxita são limpas antes de serem descarregadas no ambiente.
  • Impactos devido à infraestrutura da fábrica e à eliminação dos resíduos da bauxita: quando um depósito está cheio, a área é reflorestada com espécies nativas.

Conheça a Hydro Alunorte: A maior refinaria de alumina do mundo

Refinaria de alumina Hydro Alunorte

A Hydro Alunorte possui uma capacidade total de produção de quase 6,3 milhões de toneladas métricas anuais, ou seja, aproximadamente 7 % da produção mundial.

Armazenagem da alumina

A refinaria é uma das melhores do mundo em termos de eficiência energética e suas principais fontes de energia para a geração de eletricidade e vapor são o carvão e o óleo combustível pesado (BPF).

Anualmente, a fábrica emite por volta de 3,8 milhões de toneladas métricas de gás carbônico (CO2) e, em se tratando de volume de emissões de CO2 por tonelada produzida, a Hydro Alunorte está entre as 30% melhores produtoras do mundo.

A fábrica funciona com um consumo de água relativamente baixo, ou seja, 2 a 3 metros cúbicos por tonelada métrica de alumina.

Armazenagem de bauxita na fábrica da Alunorte

A Hydro Alunorte adota o sistema de empilhamento a seco para a armazenagem dos resíduos da bauxita. Isto significa que os resíduos podem ser armazenados, do ponto de vista geotécnico, em pilhas estáveis em vez de armazenados em lagos. No final de sua utilização, as áreas de armazenagem são cobertas e reflorestadas.


Actualizado: outubro 11, 2016